sábado, 14 de março de 2020

Que adubos se usa na hidroponia?


Para se responder a pergunta de quais adubos devem ser usados na hidroponia, precisamos antes de tudo responder uma pergunta muito mais importante: quais são os nutrientes que as plantas precisam? Porque um adubo é simplesmente o meio de transporte de um nutriente. O adubo leva para a planta o nutriente que ela precisa. A Hidroponia é o sistema de cultivo em que os nutrientes minerais essenciais às plantas são fornecidos por meio de uma solução nutritiva. A solução nutritiva é uma mistura de água e nutrientes. Os nutrientes devem estar em formas químicas e concentrações adequadas às necessidades das culturas. Mas quem são esses nutrientes?

A disciplina que estuda a função e o manejo dos nutrientes das plantas é a Nutrição Mineral de Plantas. Na Nutrição estabelece-se que há dois grandes grupos de nutrientes: os essenciais e os benéficos. Um nutriente essencial é um elemento químico sem o qual a planta não consegue completar seu ciclo de vida e que não pode ser substituído por qualquer outro elemento.

Todas as espécies vegetais cultivadas precisam pelo menos de 16 nutrientes. Três destes nutrientes, hidrogênio (H), oxigênio (O) e carbono (C) são fornecidos pela água ou pelo ar e são classificados como elementos não minerais essenciais ou elementos estruturais. Os outros treze nutrientes, conhecidos como nutrientes minerais, devem ser fornecidos através de adubos ou fertilizantes e estar na forma de íons (cátions ou ânions) no meio radicular para que as plantas possam absorvê-los. Os nutrientes minerais são divididos em macronutrientes e micronutrientes.

Macronutrientes são elementos químicos cuja concentração na matéria seca vegetal é maior que 0,1%. São considerados macronutrientes os elementos nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S). Os micronutrientes são os elementos nutrientes cuja concentração na matéria seca da planta é menor que 0,1%. Atualmente reconhecem-se 7 micronutrientes: ferro (Fe), manganês (Mn), zinco (Zn), cobre (Cu), boro (B), molibdênio (Mo) e cloro (Cl). Para alguns fisiologistas o elemento níquel (Ni) é essencial e classificado como micronutriente. Os micronutrientes são elementos tão essenciais para as plantas quanto os macronutrientes, só que requeridos em quantidades muito pequenas, daí a denominação micronutriente.

Além dos elementos químicos considerados como nutrientes essenciais, há alguns elementos conhecidos como benéficos. Estes são elementos não essenciais os quais estimulam o crescimento vegetal. Também são classificados como benéficos os elementos essenciais para um número limitado de espécies. Essa classificação geralmente se refere aos elementos silício (Si), sódio (Na) e cobalto (Co).

E os adubos, quem são? Como eu disse mais acima, um adubo nada mais é que um transportador de nutrientes. Os adubos utilizados na hidroponia geralmente são sais (compostos formados por um cátion e um ânion) de altas pureza e solubilidade. Um adubo pode conter um ou mais nutrientes e o mesmo nutriente pode estar presente em diferentes adubos.

O nitrogênio (N), como vimos, é um nutriente, mas quando se quer adicionar o nitrogênio na solução nutritiva, utiliza-se um adubo que contenha nutriente, por exemplo o MAP (monoamônio fosfato ou fosfato monoamônico), cuja fórmula química é NH4H2PO4. É possível ver na fórmula química do MAP que além do nitrogênio, ele contém fósforo (P). Isso quer dizer que o adubo MAP contém, ou transporta, os nutrientes nitrogênio e fósforo. Alguém pode se perguntar por que eu não comentei que o MAP também tem hidrogênio e oxigênio, já que ambos também são nutrientes. Como afirmei no terceiro parágrafo, o carbono, o oxigênio e o hidrogênio que as plantas utilizam são retirados da água e do ar, não dos adubos. Então não se usa adubo para fornecer esses três elementos, mesmo que eles estejam presentes na composição do adubo.

Pois bem, entendida a diferença entre nutrientes e adubos, é necessário afinal preparar uma solução nutritiva com adubos que garantam a presença de todos os nutrientes essenciais para as plantas. Mostrarei dois quadros abaixo que, espero, esclarecerão uma vez mais a diferença entre os dois e de que forma o conhecimento básico das necessidades de nutrientes pelas plantas se transforma em conhecimento prático de manejo da nutrição mineral em cultivo hidropônico.


Este quadro mostra a composição genérica de uma solução nutritiva, tendo na primeira coluna os símbolos dos nutrientes essenciais, na segunda coluna as concentrações dos macronutrientes em milimol por litro (mmol/l) e na terceira coluna as concentrações de micronutrientes em micromol por litro (µmol/l). O quadro, em termos práticos, não permite se fazer muita coisa - não há como se pesar 17,55 mmol/l de nitrogênio em uma balança. Esses valores indicam a concentração de nutrientes que a solução final deve ter.

Lembremos agora do que foi dito no início do texto: os adubos transportam os nutrientes. Não adianta ao produtor saber apenas que sua solução deve ter 1,35mmol/l de fósforo. Ele precisa primeiro saber quais adubos contêm fósforo. Em segundo lugar ele necessita se informar sobre as porcentagens de fósforo nos adubos e escolher aquele mais apropriado à sua solução. Terceiro, é necessário calcular quanto do adubo escolhido vai ser necessário diluir na água para que a solução nutritiva tenha a concentração de fósforo (e dos outros nutrientes) recomendada. Depois disso tudo feito, o produtor terá um quadro parecido com o apresentado abaixo.


Na primeira coluna estão os diferentes adubos que serão utilizados e na segunda a quantidade que deve ser pesada em gramas (g) para se diluir em 1000 litros de água. Com estas quantidades de adubos teremos, na solução nutritiva final, todos os nutrientes essenciais nas concentrações recomendadas, ou seja, com 155 gramas de MAP em 1000 litros de água eu sei que minha solução nutritiva terá uma concentração de 1,35mmol/l de fósforo (P), e assim por diante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário